Comércio de Palmas se mostra otimista com vendas de Dia das Crianças, aponta CDL

  • 07 de outubro de 2020 - 13:25



Apesar do momento ainda ser de recuperação econômica, a maioria dos consumidores deve comprar presentes neste Dia das Crianças. Conforme aponta a pesquisa realizada pelo Off Wise em parceria com a CDL Palmas e a CNDL, 72% dos consumidores devem ir às compras na data. Em Palmas, a expectativa da CDL Palmas é de, pelo menos, 25% no aumento das vendas. No ano passado (2019), a data trouxe um aquecimento de 34% no volume total de vendas para os lojistas do comércio palmense. 

 

A pesquisa revelou ainda que a maioria garante que pretende gastar menos ou o mesmo valor do ano passado: 36% querem gastar menos, 32% pretendem gastar a mesma quantia, e apenas 17% dizem que irão gastar mais. O gasto médio com os presentes deve ser de R$ 209,33 com todos os presentes na data, valor bastante parecido à intenção de compras da pesquisa de 2019 (R$ 198,79). 

 

O presidente da CDL Palmas, Silvan Portilho, explica que o Dia das Crianças serve de termômetro para as compras de fim de ano. “Este foi um ano atípico, que deixou nossos empresários de portas fechadas por muito tempo. Uma boa intenção de compras no Dia das Crianças nos deixa otimistas, pois é a nossa primeira impressão para o Natal, que é a data mais importante para o comércio. Esperamos que agora o comércio consiga ter boas vendas para conseguir o capital necessário para investir no fim de ano”, disse.

 

Os produtos mais visados neste Dia das Crianças serão as roupas e calçados (38%), bonecos/bonecas (33%) e os jogos de tabuleiro/educativos (28%). A grande maioria dos consumidores que pretende realizar compras para a data optará pela primeira semana de outubro (45%), enquanto 21% o farão ainda em setembro e 14% irão às lojas na véspera do evento.

 

Na opinião dos entrevistados, os fatores que mais pesam na hora de escolher onde realizar as compras do Dia das Crianças são o preço (52%), as promoções e descontos (41%), a qualidade (31%) e os procedimentos de segurança com relação ao coronavírus (26%).