Coronavírus: entidades de Palmas discutem medidas para minimizar prejuízos

  • 18 de março de 2020 - 17:45



Tendo em vista a crise instaurada pelo novo coronavírus (Covid-19) em todo Brasil e no mundo, o Conselho de Inovação e Desenvolvimento Econômico de Palmas (CIDEP), formado por entidades de classe, se reuniu na tarde desta quarta-feira, 18, no Auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Palmas. O objetivo da reunião foi tratar dos reflexos da pandemia causada pelo novo coronavírus e seus impactos na economia da Capital, bem como de estratégias para auxiliar as empresas neste momento. 

 

O CIDEP decidiu encaminhar um ofício ao Governo Estadual e à Prefeitura de Palmas, solicitando a isenção ou suspensão do pagamento dos tributos estaduais e municipais (ICMS e ISS) além da dilatação dos prazos nos processos administrativos e os que estão em execução fiscal. Tais medidas devem auxiliar as empresas neste momento em que a economia global passa por sérios problemas. A Prefeitura de Palmas definiu, tendo em vista a confirmação de caso da Covid-19 na capital, o fechamento do comércio em breve.

 

Para o presidente do Conselho, que também preside a CDL Palmas, o momento é de traçar estratégias. “Nós tentamos não fechar o comércio, mas sabemos que isso vai além, é questão de saúde pública e vai além. A Prefeitura vai publicar um decreto e acreditamos que o comércio deverá fechar por 15 ou 30 dias, sendo que somente serviços essenciais como alimentação e farmácia ficarão abertos. Neste momento, enfatizamos aos empresários que sejam precisos e orientem aos trabalhadores que eles devem ficar em casa, não devem viajar, não devem aglomerar as praias, para que a medida seja de fato efetiva”, explicou. 

 

Silvan explicou que nos próximos dias as entidades classistas estarão formulando novas medidas para orientar as empresas que não poderão abrir. A CDL Palmas estará ativa em todas os meios de comunicação ouvindo os empresários para juntos elaborarmos as soluções necessárias. Além do ofício que será encaminhado aos governos, o CIDEP também elaborou uma série de recomendações para as empresas que ficarão abertos, sendo elas:

 

- Utilizar banco de horas para definir uma escala de funcionários, em função da queda nas vendas;

- Limitar o fluxo de pessoas dentro das empresas para o determinado pelo Ministério da Saúde, seja de funcionários ou de clientes;

- Cumprir todas as recomendações do Ministério da Saúde em seus estabelecimentos e orientar os colaboradores;

- Reforçar a limpeza nos estabelecimentos;

- Priorizar home office e tele trabalho para os funcionários para os casos possíveis;

- Priorizar o delivery e o atendimento por telefone e internet;

- Sugerir abertura das empresas em horários alternativos para evitar grandes fluxos no transporte público e nas ruas;

- Utilizar férias coletivas por setor ou por empresas, evitando assim demissões;

- Disponibilizar na entrada das empresas o álcool em gel ou pia com água e sabão para utilização de todos.

 

Estiveram presentes na reunião representantes da CDL Palmas; do Instituto de Planejamento Urbano de Palmas; da Federação Da Agricultura e Pecuária do Estado do Tocantins; Associação Comercial e Industrial de Palmas, Federação das Associações Comercial e Industriais do Tocantins; Associação Tocantinense De Supermercados; Associação Dos Comerciantes De Materiais De Construção Do Tocantins; Associação De Jovens Empresários Do Tocantins; Agência de Tecnologia de Palmas; SEFIN Palmas; Convention Bureau; Conselho Regional de Contadores do Tocantins; Associação de Distribuidores e Atacadistas do Tocantins e também da Prefeitura Municipal.