Dia das Mães: comércio de Palmas espera recuperação tímida das vendas

  • 29 de abril de 2021 - 10:01



Depois do Natal, o Dia das Mães é a data comemorativa que mais movimenta o comércio. Com o cenário de dificuldades econômicas que o país enfrenta, a data pode ser um respiro de aquecimento nas vendas. Conforme apontam os dados do levantamento realizado pelo SPC Brasil e a CDL Palmas em parceria com a Offer Wise, em 2021 cerca de 77% dos consumidores devem comprar presentes neste Dia das Mães.

 

Em 2020, com o comércio fechado na Capital, Palmas teve uma queda de 45% nas vendas (em comparação a 2019). Por isso, a expectativa é de que neste ano o número de vendas seja maior. Segundo a pesquisa, o comércio deve vender pelo menos 9% a mais que no ano anterior. 

 

Para o presidente da CDL Palmas, a data ainda não vai trazer os bons números de antes da pandemia. “Esperamos que em 2021 as vendas sejam melhores, mas isso porque 2020 foi extremamente ruim para o comércio. Estamos bem distantes da normalidade e o comércio ainda caminha a passos lentos”, explicou. 

 

Um ponto importante a ser destacado, é que o levantamento revelou que 69% pretendem comprar a maioria dos presentes em lojas físicas, principalmente no shopping center (26%) e nas lojas de rua (20%). Já 57% irão fazer compras online, principalmente nos sites e lojas virtuais (38%). Na hora de escolher o local de compra dos presentes, 45% são influenciados pelo preço, 36% por promoções e descontos, 35% pela qualidade dos produtos e 29% pelo frete grátis, por isso é importante que o lojista se prepare. 

 

Em média, os consumidores pretendem comprar 2 presentes. Em relação ao valor a ser gasto, 27% pretendem gastar entre R$51 e R$100 sendo que, em média, os consumidores pretendem gastar R$197 com o presente. A pesquisa mostrou que 49% pretendem comprar roupas, calçados ou acessórios, 42% perfumes, 28% cosméticos e 21% chocolates

 

Em relação a comemoração, 41% planejam comemorar na casa da mãe, 36% em sua própria casa, e 8% vão comemorar à distância, através de vídeo chamada ou telefone. Considerando aqueles que devem comemorar à distância, 88% citam a pandemia como motivadora.